Obesidade: Mistérios Não Revelados

Obesidade: Mistérios Não Revelados

 

Obesidade: Mistérios Não Revelados

Obesidade: Mistérios Não Revelados

Obesidade: Mistérios Não Revelados

Obesidade

A obesidade é uma condição médica na qual o excesso de gordura corporal acumulada tem efeito negativo à condição humana, levando para a redução da esperança de vida e / ou aumento dos problemas de saúde.

Nos países ocidentais as pessoas são consideradas obesas de acordo com o índice de massa corporal (IMC), que traz medida obtida conforme divisão do peso pelo quadrado da altura, superior a 30 kg / m2, com o intervalo de 25-30 kg / m². Alguns países do leste asiático usam critérios mais rigorosos.

Obesidade aumenta o risco de várias doenças, principalmente cardíacas, diabetes tipo 2, apneia obstrutiva do sono, alguns tipos de câncer e artrite.

Comumente causada por uma combinação de ingestão excessiva de alimentos energéticos, falta de atividade física e susceptibilidade genética, embora alguns casos são causados principalmente por genes, doenças endócrinas, medicamentos ou doenças psiquiátricas.

As provas para apoiar a visão de que algumas pessoas obesas comem pouco e ganham peso devido ao metabolismo lento são limitadas. Em média, obesos têm gasto energético maior do que os seus homólogos finos devido à energia necessária para manter um aumento da massa corporal.

Dieta e exercício são os principais tratamentos para a obesidade. A qualidade da alimentação pode ser melhorada reduzindo o consumo de alimentos com alta densidade energética, tais como aqueles ricos em gordura e açúcar, e, através do aumento da ingestão de fibras dietéticas.

Com uma dieta adequada pode ser tomado medicamento contra obesidade para reduzir o apetite ou diminuir a absorção de gordura. Se dieta, exercício e medicamentos não são eficazes, um balão gástrico ajuda na perda de peso.

A cirurgia pode ser realizada para reduzir o volume do estômago e / ou comprimento do intestino, levando à sensação de plenitude anterior e uma redução da capacidade para absorver os nutrientes dos alimentos.

Obesidade é a principal causa evitável de morte no mundo, com constante aumento das taxas em adultos e crianças. Autoridades enxergam como uma grave problemática de saúde pública que encontrou seu boom global durante o século XXI.

A obesidade é estigmatizada em grande parte do mundo moderno (em particular ocidental), embora tenha sido e ainda se faz vista como um símbolo de riqueza e fertilidade em certos locais.

Em 2013, a Associação Médica Americana de Obesidade classificou como uma doença. Deve ser levada a sério porque pode trazer graves riscos à saúde no médio e longo prazo.

Procure ajuda médica especializada antes de fazer programas de exercícios ou dietas para combater a obesidade.

O que é a obesidade?

Existem várias definições de obesidade. Mas no geral, excesso de peso e obesidade indicam um peso maior do que o considerado saudável. Obesidade é uma condição crónica definida por excesso de gordura corporal. Parte da gordura corporal é necessária para armazenar energia, isolamento térmico, absorver choques e outras funções.

A obesidade é melhor definida usando o índice de massa corporal. O índice de massa corporal é calculado usando o peso e altura de uma pessoa. O índice de massa corporal (IMC) é igual ao peso da pessoa em quilogramas (kg) dividido pela altura em metros (m) ao quadrado. Como o IMC descreve o peso corporal relativamente à altura, este correlaciona-se com o total de gordura corporal nos adultos. Considera-se que um adulto tem excesso de peso quando tem um IMC de 25-29.9; e considera-se obeso quando tem um IMC acima de 30.

Programa Para Perder Peso Seguro e Eficaz

Os cientistas têm feito esforços para compreender a obesidade e assim melhorar os tratamentos medicinais para esta doença. Com o tempo estes tratamentos serão melhores, mais eficazes e mais seguros. Atualmente não existe nenhuma “cura milagrosa” para a obesidade, se realmente pretende eliminar a gordura e mantê-la afastada, tem de estabelecer um compromisso para toda a vida, ou seja, fazer um estilo de vida saudável, com uma dieta equilibrada e prática de exercício físico.

Os medicamentos devem ser considerados como um apoio à dieta e ao exercício físico em doentes cujos riscos de saúde devido à obesidade se sobreponham aos efeitos secundários dos medicamentos. Esses medicamentos devem ser prescritos pelos médicos de família de acordo com a condição do doente e do uso do medicamento. Medicamentos e outras preparações sem eficácia e segurança comprovada devem ser evitados.

Os programas que existem para perder peso resultam, mas só resultam se o programa motivar a pessoa o suficiente para diminuir a quantidade de calorias que ingere ou aumentar a quantidade de calorias que queima por dia (ou ambas as condições).

Quais os elementos de um programa para perder peso deve procurar quando pretende perder peso de forma segura e eficaz? Um programa para perder peso de forma segura e eficaz deve ter as seguintes características:

Dieta equilibrada

Deve incluir as doses diárias recomendadas (DDR) de vitaminas, minerais e proteínas. A dieta para perder peso deve ser baixa em calorias (energia) e não em géneros alimentícios essenciais.

O programa para perder peso deve ser um processo lento e estável

A não ser que o médico ache que a sua condição beneficiará de uma perda de peso mais rápida. Espere perder apenas meio quilo por semana após as primeiras duas semanas. Com as dietas que restringem calorias existe uma grande perda de peso durante as primeiras duas semanas, mas essa perda de peso é fluída.

Se pretende perder entre 6 a 10 quilos

Se tem problemas de saúde, ou toma medicação regular, fale com o seu médico para uma avaliação do seu estado geral de saúde antes de iniciar o programa para perder peso. O médico poderá avaliar o seu estado geral de saúde e quaisquer condições médicas que possam ser afetadas pela sua dieta e perda de peso, também poderá receber aconselhamento sobre a necessidade de perder ou não peso, qual o programa para perder peso mais adequado e qual o peso aceitável para perder. Se quiser perder peso com uma dieta baixa em calorias (uma dieta especial à base de líquidos que substitui a ingestão de comida entre um a quatro meses) faça-a com supervisão de um profissional de saúde.

O programa para perder peso deve incluir uma fase de manutenção e consolidação do peso perdido

Não há qualquer benefício em perder uma grande quantidade de peso para depois o voltar a ganhar. A manutenção do novo peso  é a fase mais difícil do controlo de peso, sendo muitas vezes negligenciada nos programas para perder peso. O programa para perder peso que escolher deve contemplar ajuda para mudar permanentemente os seus hábitos alimentares e atividade física, bem como alterar o estilo de vida que possa ter contribuído para o seu ganho de peso anteriormente.

O programa para perder peso também deve incluir ajuda para mudar o seu comportamento, incluindo educação sobre hábitos alimentares saudáveis e planeamento a longo prazo para lidar com problemas de peso. Um dos fatores mais importantes para manter a perda de peso é o aumento da atividade física diária. Tente ser mais ativo durante o dia e incorpore alguns eliminadores de calorias na sua rotina diária.

Mesmo atividades mais simples tais como fazer uma caminhada após jantar, usar as escadas no centro comercial ou escritório em vez do elevador ou escadas rolantes, estacionar o carro mais longe e caminhar, podem ajudar na preparação para a prática de exercício físico regular como caminhar ou correr. Estabeleça uma rotina de exercício físico adaptada ao seu horário.

A obesidade é uma condição crónica. Vista muitas vezes como um problema temporário que pode ser tratado durante alguns meses com uma dieta restrita. No entanto, como muitas pessoas com excesso de peso sabem, controlar o peso deve ser um esforço para toda a vida. Qualquer programa para perder peso que seja seguro e eficaz deve ser a longo prazo, caso contrário o programa será uma perda de tempo, dinheiro e energia.

Conclusão

Para manter o peso corporal ideal terá de conseguir manter um equilíbrio entre ingestão de comida e calorias necessárias para energia corporal. Você é o que come. Os tipos e quantidades de comida que come afetam a capacidade de manter o seu peso ideal e de perder peso.

A ciência médica estabeleceu que comer as quantidades adequadas de comida pode influenciar a saúde em todos os grupos etários. As atuais orientações do United States Department of Agriculture dizem o seguinte:

  • Coma uma variedade de alimentos.
  • Consiga um equilíbrio entre a comida e a atividade física – assim mantém ou melhora o seu peso.
  • Faça uma dieta rica em produtos integrais, vegetais e frutos.
  • Faça uma dieta baixa em gordura, gorduras saturadas e colesterol.
  • Faça uma dieta moderada em açúcares.
  • Faça uma dieta moderada em sal e sódio.
  • Se beber bebidas alcoólicas, faça-o com moderação.

Quais São os Riscos de Saúde Associados à Obesidade?

A obesidade não é apenas um problema estético, é um dilema terrível diretamente prejudicial para a nossa saúde. Nos Estados Unidos por exemplo, anualmente existem cerca de 300000 mortes relacionadas com a obesidade e mais de 80% dessas mortes são em doentes com IMC acima de 30. A esperança média de vida de doentes com IMC acima de 40 reduz significativamente (cerca de 20 anos para os homens e cinco anos para as mulheres). A obesidade também aumenta o risco de desenvolver diversas doenças crónicas, como por exemplo:

Resistência à Insulina

A insulina é necessária para o transporte da glucose sanguínea (açúcar) para as células musculares e gordura (onde depois é usada como energia). Ao transportar glucose para as células, a insulina mantém os níveis de glucose sanguíneos normais. A resistência à insulina (RI) significa que a eficácia da insulina em transportar glucose (açúcar) para as células está diminuída.

As células de gordura são mais resistentes à insulina do que as células musculares; assim, uma das grandes causas da resistência à insulina é a obesidade. A resposta do pâncreas à resistência à insulina é produzir mais insulina.

Desde que o pâncreas continue a produção de insulina para ultrapassar esta resistência, os níveis de glucose sanguínea permanecem normais. O estado de resistência à insulina (caraterizado por níveis de glucose sanguínea normais e elevados níveis de insulina) pode durar anos. Quando o pâncreas baixa os níveis de produção de insulina, os níveis de glucose sanguínea começam a baixar, resultando em diabetes tipo 2. Assim podemos dizer que a resistência à insulina é uma condição pré diabetes.

Diabetes Tipo 2 (em adultos)

O risco de diabetes tipo 2 aumenta com o grau e duração da obesidade. A diabetes tipo 2 está associada à obesidade central (significa que a pessoa tem excesso de gordura à volta da barriga e o biótipo do corpo tem a forma de uma maçã).

Hipertensão

A hipertensão arterial é bastante comum entre os adultos obesos. Um estudo norueguês demonstrou que o aumento de peso aumenta a pressão sanguínea nas mulheres de forma mais significativa que nos homens. O risco de desenvolver hipertensão também é mais elevado nas pessoas obesas com o corpo em forma de maçã (obesidade central) do que nas pessoas com o corpo em forma de pera (distribuição da gordura maioritariamente nas ancas e coxas).

Colesterol elevado (hipercolesterolemia)

Hipercolesterolemiaé a presença de níveis elevados de colesterol no sangue. É uma forma de ” hiperlipidemia “(níveis elevados de lípidos no sangue) e “hiperlipoproteinemia” (níveis elevados de lipoproteínas no sangue).

AVC (acidente cerebral vascular)

Rápida perda das funções do cérebro devido a insuficiência no suprimento de sangue para o cérebro.

Ataque Cardíaco

Através de um estudo prospetivo determinou-se que o risco de desenvolver doença das artérias coronárias aumentou três a quatro vezes em mulheres com um IMC superior a 29. E num estudo finlandês, conclui-se que por cada quilograma a mais de peso corporal, o risco de morte por doença das artérias coronárias aumenta 1%. Doentes que já tenham sofrido um ataque cardíaco e sejam obesos, têm maiores probabilidades de sofrer um novo ataque cardíaco.

Insuficiência Cardíaca Congestiva

Ocorre quando o coração é incapaz de fornecer o bombeamento suficiente para manter o fluxo de sangue para atender às necessidades do corpo.

Câncer

A obesidade tem sido relacionada com cancro do colon tanto em homens como mulheres, cancro do reto e próstata em homens e cancro biliar e do útero em mulheres. A obesidade também pode estar associada ao cancro da mama, particularmente em mulheres pós menopausa. Os tecidos gordos são importantes na produção de estrogénios e a exposição prolongada a níveis elevados de estrogénio aumenta o risco de cancro da mama.

Cálculos Biliares

Estes cálculos são formados na vesícula biliar, mas pode passar para outras partes do trato biliar como o ducto cístico, colédoco, ducto pancreático ou a ampola de Vater (ampola hepatopancreática).

Gota e Artrite Gotosa

É uma condição médica geralmente caracterizada por ataques agudos recorrentes de artrite inflamatória.

Osteoartrite (artrite degenerativa) dos joelhos, ancas e coluna

A artrose ou osteoartrite são um grupo de anormalidades mecânicas, que envolvem a degradação de articulações.

Apneia do sono

A apneia do sono é um tipo de distúrbio do sono caracterizado por pausas na respiração ou casos de respiração superficial ou pouco frequente durante o sono.

 

Obesidade: Mistérios Não Revelados

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »